Feito por Camila Souza - Comunicação e Marketing

Euritmia Pedagógica

“É o exemplo supremo do princípio de toda a educação de Steiner de que o movimento vem primeiro, pois a atividade dos membros desperta e vitaliza a experiência da cabeça.” 

 

A arte na educação é necessária para o desenvolvimento de uma inteligência que parte da vontade e para a formação de capacidades criativas que levam em conta o ser humano como um todo, e são necessárias quando o mais importante não é a mera acumulação de saberes, mas a criação de caminhos originais em sua busca e também de habilidades para a vida, incluindo as sociais.

A Euritmia é uma arte cujo instrumento não é o violino, o pincel, mas o próprio corpo como meio de expressão, e atua como um fator de integração entre as disciplinas e aulas do currículo Waldorf, aprofundando o aprendizado ao conduzir o corpo todo em um movimento com sentido.

As habilidades especiais que as crianças desenvolvem na euritmia incluem a orientação espacial e corporal, ritmo, habilidades para o trabalho em grupo, trazendo equilíbrio, auto-confiança e a habilidade de pensar por si mesmo. Aprende-se a controlar o movimento por meio do ritmo e forma - é o movimento controlado. Os movimentos são cheios de significado, da mesma natureza da própria linguagem.

“Pelo fato do indivíduo recuperar a revelação de seu ser anímico no que é eurítmico, encontrará por meio da euritmia, onde quer que seja aplicada na educação, o que sempre se mostrará como um recurso educacional para desenvolver o senso de verdade. Quanto mais as linguagens se tornam abstratas, mais distantes da verdade elas se tornam.”(...) “Na euritmia, tudo que se tornou separado na linguagem retorna ao ser humano. Em tal situação, quando as pessoas tem que imergir em suas sensações, quando fazem de si mesmas um instrumento, elas não podem faltar com a verdade.”[1]

 

Possui influência harmonizadora, estimuladora das forças vitais; pode atuar harmonizando tendências constitucionais e, principalmente, provoca um fortalecimento da vontade.