A Vocação Social da Euritmia

A euritmia tem um papel muito importante como ferramenta no desenvolvimento da consciência social. Por um lado somos bombardeados de informações, impressões sensoriais excessivas que nos dessensibilizam para tudo o que é sutil, torna-se cada vez mais difícil ouvir o outro, pois temos muito ruído interno. Por outro lado, nos encontramos cada vez mais isolados do contato humano profundo por estarmos em um processo individualização crescente – o que é necessário, pois no caminho para a liberdade precisamos deixar para trás tudo o que se entende por códigos externos de conduta, mas isto tem o grave efeito colateral do isolamento e do desentendimento entre as individualidades que se tornam cada vez mais características. Como uma possível ferramenta sanante no caminho de criar o “entre”, o reencontro, mas agora a partir da consciência individual, a euritmia nos propõe muitos exercícios. No movimento em grupo temos que nos adaptar seu movimento ao dos outros: o mais rápido tem que desacelerar e criar espaço para o outro; para que uma forma em conjunto seja bem sucedida todos tem que cumprir seu papel, com iniciativa, e não ficar esperando que tudo se resolva por si. Ao invés de apontar o erro dos outros, aprende-se a corrigir a si mesmo e a se perceber, etc. As  cores de cada uma, suas disposições e inclinações particulares contribuem para a criação de uma obra em conjunto.

Qualquer forma eurítmica realizada em conjunto é o confronto de minha verdade com a verdade do outro, de sua ideia de como deve ser feito, e a resultante é sempre uma terceira possibilidade, incapaz de ser pensada a princípio, mas que acontece pelo encontro.